Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

10.05.08

A TÍTULO PÓSTOMO


João Chamiço

Um dia, quando eu percorria ainda os meus primeiros e tenros anos, caminhávamos, eu e o meu pai, pelos caminhos de terra esburacados pela erosão das enxurradas. Umas vezes íamos lado a lado, de mão dada, e outras vezes eu corria aos ziguezagues circundando os sobreiros vestidos de fato novo depois da última tirada de cortiça, e vinha rodopiando como um pião até reencontrar a sua mão firme que me fazia sentir seguro. O velho caminho por onde seguíamos devia estar ali há vários (...)