Sexta-feira, 10 de Fevereiro de 2006

A NOITE


A noite, não é só feita de medos


Nem apenas de sombras duvidosas


E das suas histórias assombrosas


Nem sempre os finais tem de ser medonhos,


A noite, também desvenda segredos


E às vezes é povoada de sonhos.


 


Quando a noite é tenebrosa e fria


Há luzes acesas no céu, eternas


Que oscilam como terrenas lanternas,


Suavizam a infausta escuridão.


A alma desperta p’rá poesia


E atiça em nós a inspiração.


 


Quando a noite, acontece apressada


Viajando para sonhos distantes


Enquanto dá lugar à madrugada,


Esperam por ela outras estrelas


Cintilantes noutros vastos quadrantes


E outros poetas estarão a vê-las.


 


Quando a noite é de forte luar


Hão-de ver-se mais fantasmas da rua


Pelas sombras da noite a deslizar.


Formas projectadas p’la luz da lua


Silhuetas de pares amorosos


Omitem-se aos olhares curiosos.


 


Dos que roubam, a noite é aliada,


Aos amantes dissimula a paixão,


Aos que sonham, cede cumplicidade,


Aos que se escondem dá protecção,


Às estrelas vai despindo a claridade


À medida que cede à madrugada.


 


De noite, os anões são enormes


E todos os gatos se tornam pardos


Gigantes e ferozes leopardos;


As sombras adquirem formas disformes


E uma coruja desassossegada


Transforma-se numa “alma penada”.


  


Diz-se que a noite é boa conselheira,


Quando se adormece rebentado


Se as noites nos transportam ao passado


Mesmo aos que não têm eira nem beira,


Elas podem até ser admiráveis


Sejamos nós ricos ou miseráveis.


 


Quando alguém permanece acordado


E na noite, fita a imensidão,


A beleza eterna do céu estrelado


Como um campo semeado de estrelas,


Imaginamo-nos no meio delas


Transpostos para outra dimensão.


 


Congeminamos milhões de segredos


Dispostos como pedras preciosas


Ao redor de um pescoço de donzela


Que na mente se nos retrata bela,


Que a noite não é só feita de medos


Nem apenas de sombras duvidosas.


 


F.Januário

publicado por João Chamiço às 23:11
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Anónimo a 13 de Fevereiro de 2006 às 00:48
Os vossos comentários são também eles poéticos.
Voltem sempre. Não vos peço para serem sinceros porque tenho a certeza de que o são, mas peço-vos que sejam criticos quando tiverem de o ser. "A critica construtiva ajuda a construir, a corrosiva apenas corroe ainda mais aquilo que já não vale muito". Obrigado amigos(as).João Chamiço
</a>
(mailto:tasajanela@sapo.pt)
De Anónimo a 11 de Fevereiro de 2006 às 03:44
Noite escura envolta de mistério e sedução,onde eu prendo o meu olhar e as minhas fantasias.
Um beijo salpicado pelas cores do arco irisMaria João
</a>
(mailto:arcoiris.2005@hotmail.com)
De Anónimo a 11 de Fevereiro de 2006 às 01:35


Não há dúvida que a noite não é só feita de medos nem de sombras duvidosas. Também é feita de silêncios que nos ajudam a encontramo-nos depois de longas caminhas muitas vezes à deriva.
Gosto de poesia e passeando na noite encontrei a sua noite. Longa vida para esta " Noite ".
www.Louletania.blog.vuAntónio
</a>
(mailto:A.MS@hotmail.pt)

Comentar post

.mais sobre mim

.Novembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O HOMEM VELHO

. À JANELA

. QUEM DERA, QUEM DERA

. ESPELHOS TEUS

. PIROPO

. BRISA

. FLORES DE AÇORES

. ZECA AFONSO - SANTIAGO DE...

. JOGOS FLORAIS DE AVIZ 200...

. JOGOS FLORAIS DE ALMEIRM

.arquivos

. Novembro 2014

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Outubro 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds