Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

29.10.10

ESPELHOS TEUS


João Chamiço

 

Com teu comedimento me disseste,

Quando quis tua beleza sublimar;

Que, bela não te achavas e quiseste

A meus ávidos olhos enganar.

 

São falazes parceiros, teus espelhos

Que contrafazem teu bem parecer.

Fingem-se de vidros gastos e velhos,

Talvez por não te quererem perder.

 

Não creias em reflexos desleais

Que a teu rosto enviesam, tão cruéis,

Crê em meus olhos, puros de cristais,

 

Que a imagem exacta de ti

Reproduzem nos lampejos fiéis

Que aos olhares primeiros descobri.

 

Sancho Pança, vulgo eu mesmo:

 João Chamiço

2010-10-27

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.