Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

Aqui, no OBSERVANTES, têm lugar privilegiado:

A poesia, os sonhos e a utopia. A critica incisiva às realidades concretas de Portugal e do mundo baseadas na verdade constatada e só nela. "A verdade nunca é injusta; pode magoar, mas não deixa ferida". (Eduardo Girão)

26.02.09

QUANDO SE VÃO OS AMORES


João Chamiço

 http://geographicae.files.wordpress.com/2007/10/glaciar-argentina-viedma.jpg

  

 Quando se vão os amores
Ficam no peito os clamores
E ecos só de amizade.
É como se a alma fosse
De um sabor amargo e doce
Com um trago de saudade.
 
Teu coração está tão frio
Como esse gélido rio
Que nasce no glaciar.
Não sei se haverá calor
Que tenha rubro fulgor
Capaz de o incendiar.
 
Se eu fosse uma centelha
Cuja faísca vermelha
Fosse a carga de um ião,
Talvez teu rio gelado
Fosse um vulcão transformado
No mais doce coração.
 
João Chamiço
2009-02-26

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.