Quinta-feira, 9 de Março de 2006

O CAMPINO

O Campino

 É um cavaleiro sempre altivo

"Rei sem trono, Conde sem condado".

Usa jaqueta vermelho vivo

Da cor do seu sangue derramado.

 

Quando veste o colete encarnado

Traz os touros negros na lembrança,

E P'ra um dos lados pendurado

O barrete verde, cor da esperança.

 

Quando leva os touros à praça,

Gera-se em si um turbilhão,

Por mouchões e lezírias em flor;

 

Entre o desejar a mansidão

E faltar à "festa" esplendor,

Prefere que o touro tenha "raça".

 

F. Januário

publicado por João Chamiço às 22:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Domingo, 5 de Março de 2006

O CARPINTEIRO

Talha as portas da casa onde mora


E talha as janelas também;


Antemanhã, ao romper d’aurora


Debruça-se nelas o seu bem.


 


Brincando a sério, faz brinquedos


E o soalho do seu salão,


E arcas onde guarda os segredos


E martírios do seu coração.


 


As tábuas que formam o seu leito


São feitas da mais fina madeira


Aplainadas com todo o preceito,


 


Faz a mesa onde poisa o pão,


O cadeirão, a mesa, a cadeira


Outros, hão-de fazer seu caixão.


 


F. Januário (pseudónimo)

publicado por João Chamiço às 01:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

O MAESTRO


O maestro, rege a orquestra


Com a sua batuta agitada,


Que risca o ar em ar de festa


Numa dança assaz complicada.


 


Entendem-na os executantes


Que nas entrelinhas a lêem,


Enquanto os leigos expectantes


Tentam entender o que vêem.


 


Um gesto ao primeiro instrumento,


Um outro à multidão coesa


De múltiplos sons bem unidos,


 


Quebra-se brusco o andamento,


Rende-se a plateia surpresa


Brindando aplausos merecidos.


 


F. Januário (pseudónimo)

publicado por João Chamiço às 00:56
link do post | comentar | favorito
Sábado, 4 de Março de 2006

ENCRUZILHADA

Todos nos detemos na encruzilhada.


No momento de novo rumo escolher


Sem sabermos qual vai ser a nossa estrada,


E se nos vai levar, ou se nos vai trazer.


 


Sabemos que vamos, porque temos de ir.


Mas quem nos dera ter apenas de ficar.


Ou quem nos dera ter apenas de partir,


Partir amanhã, e amanhã mesmo voltar.


 


Nestas duras dúvidas que nos assaltam


Damos por nós hesitantes, a vacilar,


Pensando em tudo, pensando em nada.


 


E enquanto as dúvidas nos sobressaltam


Incitando-nos a partir, e a ficar,


Todos temos em comum a encruzilhada.



                                                                  João Chamiço

publicado por João Chamiço às 01:41
link do post | comentar | favorito

AS FLORES E AS MULHERES

As flores e as Mulheres

 

Como entender esta cumplicidade

Que há entre as flores e as mulheres?

Natural, seria a rivalidade

Sendo elas os dois mais belos seres.

 

Porque não disputam elas a beleza

Que umas e outras personificam?

É mais um mistério da natureza

Como tantos outros que não se explicam.

 

Há flores que na primavera florescem

Outras há, em permanente florir,

Que não caducam quando envelhecem.

 

No Outono, com pétalas a cair,

Ainda transmitem deslumbramento

Na beleza das rugas em seu tempo.

 João Chamiço

publicado por João Chamiço às 01:10
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.mais sobre mim

.Novembro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. O HOMEM VELHO

. À JANELA

. QUEM DERA, QUEM DERA

. ESPELHOS TEUS

. PIROPO

. BRISA

. FLORES DE AÇORES

. ZECA AFONSO - SANTIAGO DE...

. JOGOS FLORAIS DE AVIZ 200...

. JOGOS FLORAIS DE ALMEIRM

.arquivos

. Novembro 2014

. Agosto 2011

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Outubro 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Dezembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Agosto 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.links

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds